Assistência farmacêutica e Vigilância em Saúde vencem 1ª Mostra Aqui Tem SUS de Presidente Figueiredo

Trabalhos vencedores relatam experiencias exitosas colocadas em pratica no município, para monitorar doenças diarreicas, reduzir transmissão hídrica e custos com medicamentos

Presidente Figueiredo já tem definido o time que vai representar o município na Mostra Estatual Aqui Tem SUS, evento que será realizado nos dias 25 e 26 de abril, em Manaus. A farmacêutica Dayana Grimm Kitsinger, da Central de Abastecimento Farmacêutico (CAF), a sanitarista Nordelia Maria da Costa e a bióloga Cristiane Sales Girão, da Coordenação de Vigilância em Saúde, são as autoras dos três trabalhos, mais bem avaliados, entre os 19 que participaram da 1ª Mostra Aqui Tem SUS, realizada na Terra das Cachoeiras, nesta terça-feira (04/04).

Todos os trabalhos inscritos na Mostra, são relativos a experiencias exitosas colocadas em pratica na rede municipal de Saúde de Presidente Figueiredo.

Na avaliação da secretária municipal de Saúde, Mariane Abreu, a realização da mostra foi um momento histórico para o município de Presidente Figueiredo, principalmente pela grande participação dos servidores e pela variedade de propostas apresentadas, o que, segundo ela, demonstra o comprometimento de todos os trabalhadores da rede municipal de Saúde.  

“Muito me orgulha a dedicação e empenho dos nossos trabalhadores por um SUS de qualidade com respeito e dignidade à nossa população. Agradeço aos nossos gestores Patrícia Lopes e Anderson Leal, bem como o apoio dos meus parceiros secretários Marivone Nunes Barroso e Alisson Rodrigues Leal de Melo e à equipe da Sems, que organizou este lindo evento. Viva o Sus. Viva os nossos trabalhadores”, afirmou.

A secretária Mariane Abreu destaca que, embora apenas os três trabalhos selecionados, na etapa municipal, estejam classificados para concorrer na etapa estadual, todos os inscritos na 1ª Mostra Aqui Tem SUS farão parte do livro de experiências exitosas da rede municipal de saúde de Presidente Figueiredo, que será editado pela prefeitura, em parceria com a  Fiocruz, intitulado “Fazendo saúde na terra das cachoeiras: as experiências do SUS em Presidente Figueiredo, Amazonas”.

Gestão de medicamentos

A proposta apresentada pela farmacêutica Dayana Kitsinger, apontando a contribuição e aplicabilidade da curva ABC de Pareto para a redução dos custos, otimização e controle sobre os medicamentos que compõem o estoque da Central de Abastecimento Farmacêutico (CAF) de Presidente Figueiredo, conquistou o primeiro lugar na 1ª Mostra Aqui Tem SUS.

A curva ABC, também conhecida como controle ABC, é parte integrante do gerenciamento de materiais. É um método de categorização de estoque, que o classifica principalmente em três categorias distintas com base na geração de receita

Para gestão farmacêutica, a curva ABC, ajuda a controlar melhor os custos de capital de giro. As informações obtidas com a análise, reduzem o estoque obsoleto e podem aumentar a taxa de giro do estoque ou a frequência com que o hospital precisa repô-los após sua saída.

Doenças de veiculação hídricas

Classifica em segundo lugar na Mostra, o trabalho apresentado pela bióloga Cristiane Girão, propondo a implantação do Vigidesastres, programa exitoso no município, prevê o desenvolvimento de um conjunto de ações a serem adotadas, continuamente pelas autoridades de saúde pública, para reduzir o risco da exposição da população e dos profissionais de saúde, reduzir doenças e agravos, decorrentes deles, bem como os danos à infraestrutura de saúde.

Colocada em pratica em pratica com sucesso, no município, o foco da proposta é reduzir o risco da exposição da população às doenças transmitidas por água contaminada, bem como as consequências decorrentes do adoecimento para o paciente e os danos à infraestrutura da rede municipal de saúde.

Ela propõe que sejam desenvolvidas um conjunto de ações educativas e também o monitoramento das fontes de abastecimento de água passíveis de contaminação por Escherichia coli (E. coli), uma bactéria que habita naturalmente o intestino das pessoas e de alguns animais, sem que haja qualquer sinal de doença. Além da realização de avaliação sistemática da água disponibilizada para consumo humano.

Monitoramento das doenças diarreicas

Classificada em terceiro lugar, a  proposta apresentada pela sanitarista Nordelia Costa, para ampliar e tornar mais eficiente as ações de saúde, voltadas à prevenção das doenças diarreicas agudas, prevê a qualificação dos profissionais das unidades de saúde, tanto da sede quanto da zona rural, para que eles possam ser capazes de detectar alterações no ambiente ou na saúde da população e de expressar mudanças na tendência das diarreias.

Neste processo, exitoso em Presidente Figueiredo, Nordelia destaca a importância dos profissionais estarem conscientes e aptos a preencher corretamente e enviar relatórios e planilhas.

Fotos: Paula Oliveira (Dircom-PF)