Prefeitura distribui mudas de açaí pai d’égua, para incrementar produção no Jardim Floresta

Precocidade, extrema qualidade, alta produtividade e rendimento. Essas são as principais vantagens da variedade do fruto, descoberta pela Embrapa Amazônia Oriental, em 2019

A prefeitura de Presidente Figueiredo, por intermédio da Secretaria Municipal de Abastecimento e Desenvolvimento Agrícola, Aquícola e Pesqueiro (Semada), começa a executar um projeto para incrementar a produção de açaí no município, com a distribuição de mudas de uma nova variedade, denominada “Cultivar de Açaí BRS Pai d’Égua”, que garante extrema qualidade e alta produtividade do cultivo.

As primeiras 400 mudas foram entregues a pequenos produtores da comunidade Jardim Floresta, no km 126 da BR 174, para que eles possam cultivar a nova variedade e aumentar a produção e, também reflorestar a frente da comunidade.  Mas, a meta é distribuir 8 mil mudas, beneficiando todos produtores de açaí do município.

De acordo com a titular da Semada, Inês Sampaio, precocidade, extrema qualidade, alta produtividade e rendimento, são as principais vantagens da variedade do fruto, descoberta pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Amazônia Oriental), em 2019. A nova variedade, diferentemente do fruto tradicional, é irrigada em terra firme e produz o ano inteiro, sem entressafra.

Segundo a secretária, as sementes da nova variedade foram doadas à prefeitura, pelo governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), no ano passado, e foram semeadas no viveiro municipal, de onde estão sendo retiradas as mudas para distribuição às comunidades rurais.

Além de incrementar a produção, as mudas também serão utilizadas para reflorestar a frente da comunidade.

Sobre a cultivar

A “BRS Pai d’Égua” é resultado da pesquisa, com melhoramento genético, do açaizeiro, que apresenta duas características principais: produção na entressafra e frutos menores.

Os principais diferenciais da “cultivar” são; a redução da sazonalidade, com uma distribuição bem equilibrada da produção anual, produz 46% no período da entressafra (de janeiro a junho) e 54% na safra (de julho a dezembro); o maior rendimento da polpa, já que os frutos menores, rendem 30% mais que os tradicionais; a produção precoce, já  tem a primeira colheita aos três anos e meio, contrapondo os materiais tradicionais que iniciam no quinto ano.

Fotos: Paula Oliveira (Dircom-PF)